Letra da Música

Refrão:
Um bom malandro
Respeita a vida como for
Um bom malandro
Respeita a vida pelo amor
Olha o bom malandro
Eis um bom malandro
Seja um bom malandro

Talvez alguém
Não te enfrente pelo medo
Talvez alguém
Nem se assuste com você
Olha o bom malandro
Eis um bom malandro
Seja um bom malandro

121 ladrão ligeiro
O bom malandro sobe o morro no desespero 
Outra vez
Vai vendo o que a justiça fez
Cabe a nós um devoto em vocês

Covarde profano
Jogou sorriso do menor
No outdoor americano
Mesmo assim
O bom malandro segue como pode
Em casa, no bote
Com glock ou sem glock

Um bom malandro não leva sacode
Niguém deve julgar
Meliante réu culpado
São milhões de culpados
Sistema mostra assim
Mas passa tudo na TV a cabo
Fechado aos olhos do pobre
Favelado
Seu tapete pode ser puxado
Eu um bom malandro tô ligado que espinho de aço
Não é familia dentro do barraco
Eles te vê de cima do terraço
De longe eu posso ver
O bom malandro não quer ver o seu fracasso
Sangue bom que não some no tempo
Meu tio Carlinho acompanhei 
Joseli lembrei 
Por tudo que eu sei
Hey, Nego, Boy onde estão vocês hé
O bom malandro manda um salve outra vez

Refrão

Hoje me lembrei do bom malandro 
Que as drogas e o sistema levou também
Considerei, não me espelhei
Sei o que sei porque não viaje
Simplesmente não tirei ninguém
Até o mestre do Soul
Presenciei o fim
Boas conquistas é o que sempre desejei pra mim
Quem quiser que vá correr atrás
O bom malandro um dia disse assim:
Subiu com a lata na cabeça
você nem trisca, irmão
Televisão que não é sua
Deixa quieto ladrão
Compromisso aqui é isso
Faça chuva ou faça sol eu permaneço nisso
Planaltina minha quebrada o bom malandro assiste isso
Deixa quieto
Cuspir no prato que comeu pelo que eu sei não é certo
O bom malandro nunca faz correria errada
Pra ele não pega nada
O punho treme, nada muda
Vista a bermuda
Não se assusta viver na papuda
Me escuta
É melhor ficar na rua com os olhos vermelhos
Cai de joelhos pede a Deus
Uma proteção
Sei lá se recusou a traficar
Como pôde ver a mãe chorar
A molecada passando fome eis a lei do homem
O bom malandro só sofre nunca morre permanece sempre
nobre

Refrão